Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento da Fé - 01/10/2018 - O centurião de Cafarnaum

Alimento da Fé - 01/10/2018 - O centurião de Cafarnaum

“O centurião havia ouvido falar de Jesus e, por isso, lhe enviou alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo que fosse curar seu servo”. Lucas 7: 3.
Alimento da Fé - 01/10/2018 - O centurião de Cafarnaum

 

Leia Lucas 7: 1 – 10.        

 

            Neste texto encontramos este comandante do exército romano, que apesar de todo o seu treinamento sabe que existem coisas que somente através de uma intervenção divina pode trazer a solução. Atrás da armadura está um coração sensível, disposto a ouvir o falar de Deus.   

            O centurião (que é muito mais que um "capitão", ele liderava um tropa de elite, tendo sob o seu comando um grupo de cem homens altamente treinados e obedientes, dispostos a tudo. Ele diz isto para Jesus: “Mando a um: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz”.

            Este homem acostumado a viver dando e recebendo ordens, vivendo como um legionário de romana, sabe a importância de uma palavra de comando, quando está é liberada. “Por isso, nem mesmo me considerei merecedor de ir ao teu encontro. Mas ordena, com uma só palavra, e o meu servo será curado”.  

            Vemos na vida deste centurião um coração humano aberto a Deus, crendo que algo sobrenatural poderia acontecer. E embora seu imperador seja seu “deus”, ele também é amigo dos judeus crentes. Construiu uma sinagoga para os israelitas em vez de explorar o povo por causa de sua posição como ocupante. Podemos ver aqui que este homem tem uma compreensão muito mais aberta do que os demais comandantes de Roma. Ele viu em Jesus o que muitas pessoas que acompanhavam o Mestre diariamente não viram.  

            O grande centurião é um soldado atencioso que valoriza seus servos e subordinados. Ele é tão respeitoso com os israelitas, que prefere enviar os anciãos a Jesus, a para pedir a favor do seu servo, do que ir pessoalmente, e intimidar o Mestre, através de sua autoridade como comandante romano. Atrás da fachada dos deuses e imperadores, ele acredita firmemente na ação de poder que Jesus pode realizar na vida de seu servo enfermo.

            Está história nos revela algo precioso. Mesmo diante dos poderes deste mundo e de toda a autoridade que uma pessoa possa ter, chega momentos em que não sabemos o que fazer.

            Neste texto a preocupação deste centurião era com alguém que fazia parte do seu convívio. Não era um pedido para si mesmo. Será que em nossas orações pensamos além de nós mesmos? Conseguimos perceber as dores das pessoas que estão ao nosso lado?

            É necessário desenvolvermos uma fé que nos leve a compreensão de que Cristo tem toda a autoridade no céus e na terra. Uma Palavra liberada de Jesus pode transformar o coração humano, mais do que mudar a situação.

            Quando acreditamos nisto e nossos olhos passam a estar focados em Cristo, mantemos a esperança, que nos faz encontrar a força necessária para prosseguirmos e nunca esmorecermos.

             Hoje temos mais revelação do que teve este centurião em Cafarnaum, talvez o que nos falte é uma fé mais simples, crendo que apenas uma Palavra seja o suficiente. Saiba, Cristo é a única Palavra, sendo mais do que suficiente para nós.

  

Oração: Senhor que nossa fé na Tua Palavra nos faça orar pela as pessoas que fazem parte do nosso convívio, crendo que podes fazer muito mais, do que pedimos ou pensamos. Amém.