Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / ALIMENTO DA FÉ - 04/12/2018 - Como um ladrão

ALIMENTO DA FÉ - 04/12/2018 - Como um ladrão

“Portanto, ficai igualmente vós alertas; pois o Filho do homem virá no momento em que menos esperais”. Mateus 24: 44.
ALIMENTO DA FÉ - 04/12/2018 - Como um ladrão

­­­­­­­­­­­­­­­­

Leia Mateus 24: 42 – 51.   

   

            Manter a atenção nestes dias maus, é mais do que necessário é essencial, para mantermos a nossa fidelidade a Deus, permanecendo firmes “prosseguindo para o alvo”. Amando ao Senhor acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos.

            Precisamos estar prontos a todo o momento. Temos que ter a consciência de que pertencemos a Deus. Se alguém nos perguntasse o que faríamos se soubéssemos que teríamos apenas mais uma semana de vida; mudaríamos alguma coisas? Se a resposta for sim, significa que não estamos vivendo de forma adequada. A nossa vida é como um “vapor que sobe e logo desvanece”, por isso cada segundo é importante, e deve ser vivido da melhor maneira possível, e isto somente acontece quando procuramos fazer a vontade soberana do Pai.

            Quando agimos desta forma significa que não existe nada inacabado, que apesar das dificuldades estamos procurando viver a plenitude da vida abundante, que mesmo não tendo algumas coisas, nada nos faz falta, pois o “Senhor é o nosso Pastor”.

Não sabemos o momento que seremos chamados por Deus, devemos estar prontos para ir a qualquer momento, fazendo sempre a vontade de Deus.

Devemos sempre amar ao Senhor e seguir seus passos. Jesus disse que os servos fiéis e sábios imitam a bondade de seu Senhor ao distribuir a comida no devido tempo. Ele cuida da casa do Senhor, como ele próprio, porque ama o Senhor. Isto é o que distingue o mau servo, que usa a ausência do Senhor para satisfazer seu próprio prazer, a satisfação de suas paixões desordenadas. A casa do Senhor não significa nada para ele. Ele ama a si mesmo e tudo ao seu redor está lá apenas para servir seus próprios interesses. Ele não percebe que um dia o Senhor retornará.

            O que estamos fazendo? Como esses dois servos nesta parábola, também nos encontramos em situações semelhantes. Nossos pais nos confiam os cuidados da casa ou dos irmãos mais novos quando saem à noite. O professor deixa a sala de aula e confia em um comportamento responsável até que ele retorne. O chefe ou supervisor espera que trabalhemos com diligência por nossa própria conta, sem perder tempo.

Com Deus, somos sempre confrontados com dois modos: um, o caminho da responsabilidade do amor e da Plena alegria, o outro, o caminho do prazer. Deus vê tudo e nos ama infinitamente.

Precisamente porque nos ama tanto, respeita a nossa liberdade, desde que nos criou como seres humanos. Ele nunca força Sua vontade sobre nós ou nos obriga a algo. Em vez disso, Ele gentilmente, carinhosa e incessantemente nos convida a amá-lo mais livremente e a sermos mais e mais como Ele.

O que poderíamos fazer? O que estamos fazendo? O que precisamos mudar para sermos mais semelhantes ao nosso Senhor?

 

Oração:  Senhor Jesus, que Suas Palavras sirvam de inspiração e advertência. Queremos ser como o servo fiel da parábola, mas sabemos que isto somente é possível através da Tua graça, por isso nos ajude. Amém.