Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento da Fé - 05/10/2018 - Fogo na terra!

Alimento da Fé - 05/10/2018 - Fogo na terra!

“Eu vim para trazer fogo sobre a terra e como gostaria que já estivesse em chamas!”. Lucas 12:49.

 

Leia Lucas 12: 49 – 53.       

 

            Hoje em dia precisamos ter um coração sensível, como uma terra boa, para podermos ouvir a Palavra do Senhor, que é semente, que quer brotar e frutificar em nossos corações.

 

            Neste texto lemos algo que nos faz pensar num primeiro momento que Jesus parece estar de mau humor. Mas precisamos estar atentos para não entendermos de forma errada as expressões do Senhor, que sempre tem para nós uma Palavra de paz. “Eu vim para trazer fogo sobre a terra e como gostaria que já estivesse em chamas!”. 

  

            Precisamos perceber que a fala de Cristo não se refere a um desejo de destruição, mas de um alerta de que haverá um final para este mundo. Chegará um momento em que as coisas temporais darão lugar ao que é eterno.

 

Este é o grande propósito de Jesus, trazer-nos para a família de Deus, abrindo a possibilidade da eternidade. O que o Mestre expressa é a inquietação de Seu coração e o desejo de que as pessoas possam estar atentos à Sua Palavra, por isso elas são enfáticas.

    

            Jesus vem para apresentar a possibilidade da “Paz” que extrapola a compreensão humana, pois ela somente pode ser experienciada no paradoxo da separação. Somente quando deixamos de lado o que é aparentemente paz é que podemos encontrar a genuína Paz.

 

            Não se trata de uma calma superficial, que possibilita a concretude de nossos planos, desejos e sonhos. Isto não é sobre "nossas" ideias. É sobre a nossa vida eterna, isto é, o cumprimento de todos os nossos anseios em Deus. Jesus diz que está trazendo a separação, como desafio para escolhermos a verdadeira, a Paz que só Ele pode dar.

 

            O Mestre sempre deixa claro as suas prioridades. Quando Ele começa falando da família, isto é uma palavra profética. Não está sugerindo que lancemos fora o quarto mandamento “honrar pai e mãe”, nem deixar de lado a questão do respeito, paciência e principalmente o amor.

 

            Vemos em Cristo sempre a ideia da importância da família, mas, ao mesmo tempo, sabe como conceituar: a família deve ser um lugar onde se aprenda a amar e a viver juntos, tendo como base Deus. No entanto, se a família impedir você de ir a Deus, isso causará divisão. E então a discórdia pode surgir entre pai e filho, mãe e filha. Jesus não quer isso, mas deixa claro que não podemos, como filhos e filhas de Deus, nos dobrarmos às vontades humanas. Sacrificando assim a Paz Celestial, por causa da paz humana. Deus deve ser o princípio e o fim, o tudo que quer estar em todos nós.

 

            Este texto do Evangelho de Lucas nos faz perceber que muitas pessoas se afastaram de Deus, buscando um caminho aparentemente mais fácil, e não conseguiram se livrar das discórdias da vida. E que é preciso vigilância para não cairmos na mesma tentação e escolhermos ao invés da paz momentânea fazermos opção de seguirmos o Príncipe da Paz.

  

Oração: Senhor Dê-nos força para sermos fiéis a Ti. Que possamos com a Tua ajuda entendermos a Sua Palavra e assim termos a sabedoria para fazermos as escolhas adequadas. Amém.