Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / ALIMENTO DA FÉ - 06/12/2018 - Alegrando o coração de Deus

ALIMENTO DA FÉ - 06/12/2018 - Alegrando o coração de Deus

“Respondeu-lhe o senhor: ‘Muito bem, servo bom e fiel! Foste fiel no pouco, muito confiarei em tuas mãos para administrar. Entra e participa da alegria do teu senhor!” Mateus 25: 21
ALIMENTO DA FÉ - 06/12/2018 - Alegrando o coração de Deus

 

Leia Mateus 25: 14 – 30.       

 

           A cada dia precisamos perceber se o nosso coração está abastecido com o amor de Deus, pois a boca revelará o conteúdo que estiver nele. Somente andando em amor é que poderemos alegrar o coração de Deus, nosso Pai. Ele sempre sabe o que é melhor para nós.

            Quando lemos está parábola entendemos que o conhecer de Deus sobre nós mesmos e muito melhor e mais profundo do que o nosso. Então poderemos responder à questão: Por que a distribuição dos talentos foi desigual ou inadequada?

A resposta é dada pelo próprio Senhor, Ele conhecia bem os Seus servos! Afinal, foi ele quem cuidou deles, ensinou-os e confiou-lhes toda a sua fortuna.

Podemos ter certeza de que o Senhor sabia o que estava fazendo quando dividiu os talentos entre os três servos de maneira diferente. Ainda mais, ele os convidou para compartilharem de sua riqueza e herança.

Jesus nos diz que os servos receberam os talentos, cada um de acordo com seus dons. Talvez tenhamos visto o Senhor como um tirano duro e exigente na parábola. Mas um olhar mais atento sobre como o Senhor trata seus servos mostra-o de forma diferente – como um cavalheiro benevolente que anseia por compartilhar Sua vida com os servos. Não é isso que Deus quer que façamos?

            Frutificando e alegrando o coração do Senhor. Deus nos revela em Sua Palavra que as tentações tem como matéria prima questões próprias da humanidade. “Não veio sobre vós tentação, senão humana”. I Coríntios 10:13

            Embora sejamos limitados, Deus começou boa obra em nós e espera resultados: “Eu vim para que tenham vida e vida em abundância”. João 10: 10.  O que o Pai requer: “vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça”. João 15:16.

            Deus deseja muito que nossa vida seja frutífera. Ele continua derramando Sua graça sobre nós. Ele faz muito mais do que o senhor desta parábola, pois nosso Deus não apenas nos ensina, mas acompanha-nos, vivificando nossas vidas e nos dando uma base sólida que é Cristo.

            “Servo mau e preguiçoso!”. Podemos imaginar tal repreensão vindo de um empregador, um supervisor? Mas como pode vir uma repreensão dura do próprio Deus?

Pedro provou este tipo de repreensão, quando Jesus se dirigindo a ele disse: “Afaste-se de mim, Satanás! Você é uma pedra de tropeço para mim. Considera as coisas apenas do ponto de vista humano, e não da perspectiva de Deus”. Mateus 16: 23.

O terceiro servo é punido por ser mau. Aqui Mau é sinônimo de malvado, cruel, desumano, ruim. Ruim por causa do seu preconceito e de sua opinião errônea sobre o seus senhor. Preguiçoso porque ele nem mesmo cumpriu o mínimo do que lhe fora exigido na qualidade de servo. A diferença principal marcante entre os servos lentos e engenhosos está em sua relação com o Senhor. O servo preguiçoso era e foi cegado pelo seu amor próprio, traído pelo seu grande ego. Os bons e fiéis servos tinham para com o senhor apenas as melhores intenções em sua mente e em seus corações.

 

Oração: Senhor, os bons e fiéis servos estavam prontos para fazer qualquer coisa para agradar ao seu senhor. Que tenhamos sempre a mesma disposição de sempre procuramos agradar a Ti. Amém.