Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento da Fé - 08/08/2018 - Tempo de Tentação

Alimento da Fé - 08/08/2018 - Tempo de Tentação

“E ali esteve no deserto quarenta dias, tentado por Satanás. E vivia entre as feras, e os anjos o serviam”. Marcos 1: 13.

 

Leia Marcos 1: 9 – 15.

 

            Da mesma forma que Jesus, todo nós somos tentados. A cada dia precisamos nos fortalecer na graça e no amor de Deus, pois somete desta forma poderemos resistir nos dias maus. Não temos toda a compreensão das coisas concernentes a vida cristã, mas a tentação é permitida por Deus com um propósito.

            A vida pública de Jesus começa com um embate contra as forças do mal, personificado em Satanás. Antes de reunir seus discípulos, realizar os milagres e ensinar o povo através das parábolas, o Mestre deixa claro para o que veio: “Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.” I João 3:8. Implantando Seu Reino de misericórdia e amor. Demonstrando que mesmo em meio as tentações podemos resistir e sermos sustentados por toda “palavra que sai da boca de Deus”. 

            O objetivo da tentação de acordo com a visão do mal é derrubar o cristão para que assim ele não seja útil no Reino de Deus. Já o Senhor permite a tentação não para conhecer-nos, Ele é onisciente, conhece tudo e todos ao mesmo tempo. A tentação é para que possamos conhecer mais do Senhor e confiar que através da Sua presença nada pode nos abalar e assim vencer a tentação. “38 Porque estou certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, 39 nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor!”. Romanos 8: 38 – 39.  

Jesus encontra o diabo em sua própria área de ação e permanece fiel ao Pai e à sua vontade diante de tremenda tentação.

A tentação desempenha um papel importante no plano de salvação. Somos capazes de ser santos ou pecadores. O destino de ninguém é predeterminado. Até mesmo os anjos tinham que escolher entre o bem e o mal e assim determinar seu destino pessoal. O amor e a devoção dos anjos que escolheram o bem, fizeram deles ferramentas confiáveis para a vontade e o plano de Deus. O egoísmo dos demônios fez deles feras selvagens, constantemente à procura de novas vítimas. Nossas decisões mais íntimas e secretas fazem parte dessa luta eterna entre o bem e o mal. Cada hora de tentação é uma hora de escolha e decisão. Quanto mais forte a tentação, mais forte a decisão tem que ser. Se escolhermos o bem, e fizermos disso um hábito, bons hábitos formam o nosso caráter,

            Cristo aparece na Galileia e pede uma decisão. “Arrependei-vos, e crede no evangelho.” Ninguém pode permanecer indiferente a Jesus Cristo; Ninguém ouve sua mensagem sem decidir de uma maneira ou de outra, o não decidir já é uma decisão. Jesus chama todos os homens e mulheres para o seu Reino, e esse chamado faz com que as pessoas escolham constantemente por Ele ou contra Ele. A tentação não é apenas uma oportunidade para o pecado, ela revela a raiz do pecado. Se em Cristo vencermos a tentação então; “... o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça”. Romanos 6:14.

 

Oração: Senhor Jesus, queremos escolher a Ti. Nos dê força na hora da tentação. Que estejamos firmados em Teu amor. Que a cada tentação que resistirmos nos faça permanecer no caminho para uma vida santa. Amém.