Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento da Fé - 08/10/2018 - A obra da Cruz e a filiação Divina

Alimento da Fé - 08/10/2018 - A obra da Cruz e a filiação Divina

“Pois estava dedicado ao ensino dos seus discípulos e lhes revelava: “O Filho do homem está prestes a ser entregue nas mãos dos homens. Eles o matarão, mas três dias depois ressuscitará”. Marcos 9: 31.

 

Leia Marcos 9: 30 – 37.

 

“Pois estava dedicado ao ensino dos seus discípulos e lhes revelava: “O Filho do homem está prestes a ser entregue nas mãos dos homens. Eles o matarão, mas três dias depois ressuscitará”. Marcos 9: 31.

 

Há uma canção que diz: “Meu irmão eu preciso de ti, Pois Deus colocou em ti Graça pra mim”. Será que temos percebido a graça de Deus na vida das pessoas que nos cercam? Temos aceitado a vida como um dom precioso que temos recebido do Pai Celestial? Isto somente acontecerá quando entendermos e experienciarmos a obra da cruz. 


A obra da cruz, que traz a morte e a ressurreição de Jesus, é o cerne da vida cristã. As pessoas da época de Cristo tinham uma ideia equivocada sobre quem seria o Messias e qual seria realmente o seu papel na restauração da humanidade.

 
Eles estavam presos a ideia de que o Messias seria apenas um libertador, que traria uma libertação na dimensão apenas política e não de forma mais abrangente. Por isso, não puderam desfrutar da presença salvadora e restauradora de Jesus. 


Não nos comportamos como os discípulos quando temos medo de fazer perguntas a Deus? Muitas pessoas não falam com Deus sobre a questão do sofrimento, não aceitam as limitações da morte e do morrer. Precisamos manter um diálogo com o Senhor, pois Ele nos fará não apenas entender estes dilemas humanos, mas nos capacitará a enfrentarmos a cada um deles, sem perder a esperança e confiança em Sua Palavra. 


Através da obra da cruz, Cristo nos mostrou que na morte e ressurreição, Ele passa a ter toda a autoridade no céu e na terra e está autoridade é ativada no dia do sofrimento, fazendo que mesmo em meio as dores, encontremos alívio para nossas almas e mais do que isto, entendendo que todas as coisas são transitórias, mas a Palavra é eterna. Os sentimentos aparecem e desaparecem, mas a certeza do amor e cuidado de Jesus é constante.


Não perdemos Cristo através da morte, mas quando permitimos que pecados não confessados nos separe da presença ressurreta de Jesus. Mas quando confessamos nossos pecados trazemos a presença viva de Cristo para mais perto, e com certeza Ele nos ajudará a trilharmos nosso caminho, suavizando-o através da Sua preciosa graça.


Através da obra da Cruz, nos tornarmos filhos e filhas do Pai Celestial. Ele nos perdoou, abrindo um novo e vivo caminho através de Cristo, algo que faz cessar em nós tudo o que é puramente da natureza carnal, abrindo a possibilidade do viver de forma sobrenatural. 


Precisamos aprender e desfrutar mais da presença amorosa de Cristo. Reconhecer que em Jesus somos capacitados a entrarmos para a família de Deus, na qual existe muitos outros irmãos e irmãs, que podem nos ajudar nesta caminhada da vida cristã.

 

Oração: Jesus, tomaste para si a vergonha da morte na cruz, pra que pudéssemos desfrutar a alegria do viver. Continue nos libertando de tudo àquilo que nos impede de perceber e receber Teu amor filial. Dê-nos a graça de seremos obedientes à Sua vontade sempre. Amém.