Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento da Fé - 10/08/2018 - Sendo Cristão

Alimento da Fé - 10/08/2018 - Sendo Cristão

“Então o Rei, esclarecendo-lhes responderá: ‘Com toda a certeza vos asseguro que, sempre que o fizestes para algum destes meus irmãos, mesmo que ao menor deles, a mim o fizestes”. Mateus 25: 40.
Alimento da Fé - 10/08/2018 - Sendo Cristão

 

Leia Mateus 23: 1 – 12.

 

           O ser cristão exige que tenhamos nossa identidade totalmente distinta de qualquer outro padrão humano, demonstrando compromisso com Deus e comprometimento com Sua vontade. 

            Mais do que “pregar” é preciso vivenciar os valores do Evangelho. Não fomos chamados para dar uma aula sobre o cristianismo, mas para sermos testemunhas fiéis, que através do comportamento, revela a quem realmente servimos.

            É fácil lembrar aos outros como as coisas devem ser feitas; mas é muito mais difícil dar testemunho de uma vida cristã crível. Uma coisa é o ensinamento, outra bem distinta é o nosso exemplo pessoal. Se alguém falar a verdade, devemos aceitá-la. Mas, se a pessoa que prega a verdade não vive, o que ensina? Na vida cristã a verdade não deixa de ser verdade quando alguém não vive. Ela é verdade sempre, pois Cristo é a verdade! Porém, a pessoa continuará presa, só a verdade experienciada liberta. Podemos falar das propriedades de cura de um medicamento, mas se não tomarmos, permanecemos doentes, mas isto não anula o benefício que o remédio pode produzir. 

            Em sua carta aos romanos, Inácio de Antioquia declara o quão importante é ser verdadeiramente cristão e não apenas chamar-se a si mesmo: “Me aponte com força apenas, para que eu não apenas fale, mas também o farei, para que eu não apenas seja chamado de cristão, mas também me prove como tal. Se sou verdadeiramente reconhecido como cristão, então posso ser chamado assim, e então posso ser fiel".

 O cristianismo não é viver nossa fé de uma maneira mais ou menos formal, assim como fizeram os fariseus. É viver em amor, que se torna visível em nossas tarefas cotidianas. Um cristão que somente vai ao culto e não vive a sua fé, é como o sal que perdeu a sua capacidade de preservar e temperar os alimentos. Ser cristão é um viver em humildade!

Bernardo de Clairvaux compara a arrogância humana com uma montanha que no alto do cume ainda mantem uma parte coberta de neve. A neve derretida tem a tendência de descer a montanha e nunca subir, sendo assim muitos querem estar no topo, mas agindo assim são desprovidos da graça de Deus. Já aquele que vive ao “pé”, anda em humildade, recebe toda a graça que se derrama de forma abundante sobre a sua vida. Somente mantendo uma vida de humildade é que podemos nos mantermos unidos com Cristo, permitindo que Ele faça maravilhas em nossas vidas, o que servirá de testemunho prático na vida das pessoas que nos cercam.

Como está a nossa identidade cristã? Como temos exercido o papel de sal da terra e luz do mundo no contexto onde estamos inseridos? Precisamos da intensificação da graça de Deus em nossas vidas, para que tenhamos a ousadia de dizermos para as pessoas: “Sede meus imitadores, como eu o sou de Cristo!”.  I coríntios 11: 1

 Oração:  Querido Senhor, acreditamos em Ti. Vieste a este mundo para tornar real o amor do Pai Celestial a todos nós. Que este amor permeei todas as nossas atitudes, demonstrando que Tu estás ao nosso lado sempre, e assim as pessoas possam acreditar em Ti. Amém.