Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento de Fé - 11/10/2018 - Amor e Perdão

Alimento de Fé - 11/10/2018 - Amor e Perdão

“Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama”. Lucas 7: 47.
Alimento de Fé - 11/10/2018 - Amor e Perdão

 

Leia Lucas 7: 36 – 50.       

 

            Através do exemplo da Palavra de Deus, precisamos aprender e estar prontos às mudanças, para não ficarmos presos em nossos próprios conceitos.

            Lucas nos conta sobre Simão, um fariseu que aparentemente tinha a mente aberta e não se fechou em seus preconceitos, quando ouviu falar de Jesus. Ele convida o Mestre para um jantar em sua casa, mas cremos que este convite tinha como intenção observar melhor quem era Jesus e como Ele se comportaria diante de outros convidados.  

            Ele começa a travar com Jesus uma conversa amigável. Mas o coração de Simão estava revestido de hipocrisia, pois chegando em um certo momento do jantar vem à tona a verdadeira intenção dele. Ele começa a impor as ideias preconcebidas sobre Deus e a vida espiritual, carregada de legalismo e julgamentos. Então apareceu uma mulher que começou a ungir os pés de Jesus com óleo e secar com seus cabelos.  

            Os fariseus tinham a atitude correta em relação aos princípios morais; Simão e Jesus concordam que a mulher é pecadora. Mas aqui é a arrogância dos fariseus que os impedem de admitir os seus próprios pecados. A arrogância se manifesta na convicção implícita de que Deus precisa se adaptar às nossas formas de ver e agir.

            O fariseu acredita que não tem pecados e não admite que precisa de arrependimento. O seu arrogante "julgamento" do Senhor resulta de uma arrogância ainda maior que o deixa cego para perceber quem ele realmente é diante de Deus: uma simples criatura que precisa da ajuda e da graça divina.

Simão quer que Deus se adapte às suas noções preconcebidas, e então se aproxima do ponto onde recusa a Cristo. Este é o principal exemplo de arrogância. Ele distorce a realidade e forja seu mundo egocêntrico, no qual Cristo não tem acesso.

 A mulher sabe que é pecadora e reconhece o caminho da salvação nas palavras de Jesus e no seu exemplo. Dolorosamente, ela percebe quem ela é, e deseja a redenção. As palavras de Cristo e o exemplo de sua misericórdia encontram grande ressonância em seu coração. Ela atendeu a este chamado ao arrependimento. Este é o principal exemplo de humildade. Perceber a verdade e aceitá-la com calma torna a solução possível.

            O modo como Jesus lida com esta mulher e com Simão também mostra quão harmoniosos são a bondade e o amor do Senhor para com todos nós. Ele evita cuidadosamente os extremos: por um lado, a condenação da mulher pecadora e, por outro lado, a indiferença aos pecados dos outros.

Jesus pode oferecer esperança e consolo ao pecador arrependido. Ele quer salvar a todos nós, só temos que estar prontos para aceitar Sua bondade.

 

 

 

Oração: Jesus, ajude-nos a saber quem somos e que em Ti podemos encontrar amor e perdão. Ensina-nos a mantermos um coração cheio de gratidão, por termos sido aceitos a fazermos parte da Tua família. Amém.