Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento de Fé - 14/06/2018 - A ultima Palavra

Alimento de Fé - 14/06/2018 - A ultima Palavra

“Concluindo, depois de lhes ter orientado, o Senhor Jesus foi elevado aos céus e assentou-se à direita de Deus”. Marcos 16: 19.

 

Leia Marcos 16: 15 – 20.

 

Será que realmente queremos ser um instrumento útil no Reino de Deus, ou estamos muito cansados cuidando da nossas próprias coisas. Em alguns momentos somos paralisados pelo medo, em outros é o nosso orgulho, não queremos nos expor.


O desafio de ser cristão é algo constante. Vivemos em um mundo beligerante (em guerra), e o interesse essencial e sermos politicamente correto, não queremos nos indispor com ninguém. Mas Jesus foi bem claro, não podemos servir a dois senhores. A pergunta não é se vamos ou não cumprir a Grande Comissão e sim a quem queremos agradar? 


Quando percebemos que somente em Cristo encontramos a plena realização existencial, e podemos encontrar o propósito para o qual fomos criados por Deus, o Seu amor por nós deve ser a nossa maior motivação. Um amor que esteja disposto a se tornar um instrumento de transformação e renovação para àqueles que se encontram entristecidos pelos dilemas da vida; e saiba não são poucas. 
Um dos desafios de Cristo é o batismo, aqui não se discute a forma que deve acontecer. Compreendemos que a o batismo é a inserção real no corpo de Cristo, uma experiência interior que se transveste de materialidade. Quando nos achegamos pela fé, somos aceitos por Deus, então fazemos do batismo nossa forma de testemunho e desejo de vivermos sempre em novidade de vida. Dia a dia somos desafiados a permanecermos fiéis ao nosso voto, nosso compromisso no batismo. Se nossa experiência for mais forte do que a quantidade de água utilizada neste ato, com certeza nos manteremos alinhados à vontade de Deus. 


Ser cristão não significa o resultado de uma decisão ética, ou o desafio de viver um grande ideal, é o encontro com um acontecimento, uma pessoa que dá a vida uma nova dimensão, novo rumo, uma compreensão da vida que extrapola toda percepção humana
Uma das indagações que Jesus faz é a seguinte: “Quando Eu, o Messias, voltar, quantos que têm fé (e estão orando) encontrarei?" Lucas 18: 8 BV.
Nesta linguagem da Bíblia Viva percebemos que a importância não são os atos religiosos que praticamos, mas se estão conectados com Fé. Pela fé somos agradáveis a Deus, não por fazermos muitas coisas, mas por escolhermos a Ele. A oração é o que nos leva a ter comunhão com Cristo. A oração tem como primeiro objetivo dialogarmos com o Mestre e neste dialogo recebermos direção. 
Paulo quando chama atenção sobre este assunto, ele não está preocupado se oramos ou não, mas sim a forma de orarmos. “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis”. Romanos 8: 26. 


Nossa vida se torna mais significativa, quando cumprimos a grande Comissão, prestamos atenção e obedecemos o Ide de Jesus.

 

Oração: Senhor que possamos refletir sobre estas Tuas Palavras, e assim nos comprometermos a sermos discípulos que aceitam integralmente a Sua vontade, e desejam levar a Palavra de Vida Eterna, não somente “pregando”, mas sendo testemunhas fiéis e verdadeiras. Amém.