Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento de Fé - 18/06/2018 - O medo do desconhecido

Alimento de Fé - 18/06/2018 - O medo do desconhecido

“Quando eles haviam remado uns vinte e cinco a trinta estádios, viram Jesus aproximando-se do barco, andando sobre o mar, e ficaram amedrontados”. João 6: 19.
Alimento de Fé - 18/06/2018 - O medo do desconhecido

 

Leia João 6: 16 – 21.  

 

 

                Muitas vezes ouvimos a comparação da vida como sendo um barco e o mundo o grande mar. Até temos a antiga canção “Se águas do mar da vida...”

                Sempre lemos as instruções de alguns produtos. Quando é um remédio está escrito “Agite antes de usar”, quando é um receita a orientação “Bata bem até formar um creme”, e por ai vai as orientações, podemos pensar em muitas ouras.

                Agora será que existe uma receita quando no barco que é a nossa vida passa a ser agitado pelo grande mar (problemas existenciais)? Existem situações que vem para agitar as nossas vidas, e devido aos ventos forte que sopram, o medo tenta dominar, pois não sabemos o que poderá acontecer. Nesta hora somos jogados de uma lado para o outro, e a incerteza aumenta, passamos a duvidar da presença do Mestre. Então chegamos a dura conclusão. Somos seres vulneráveis e que as coisas ruins acontecem, mesmo quando somos cristãos.

                Outa coisa que aprendemos neste texto, é que nem sempre reconhecemos a intervenção do Senhor. Os discípulos não o reconheceram, talvez por que nunca imaginaram que seria possível alguém andar sobre as águas. Reagimos da mesma forma, não reconhecendo o Senhor, por que achamos ser impossível que haja uma saída das agitações da vida. É necessário reconhecermos quem é Jesus. O apóstolo Paulo nos dá o exemplo: “É por isso que eu estou sofrendo aqui na prisão, e é certo que não estou envergonhado disso, pois conheço Aquele em quem confio e tenho certeza de que Ele é capaz de guardar em segurança tudo quanto eu Lhe dei até o dia da sua volta”. II Timóteo 1: 12 BV

                Nas agitações que a vida nos apresenta se faz necessário saber em quem confiamos e jamais deixar que as incertezas sejam maiores do que o amor de Deus por nós. Melhor do que reconhecer as turbulências é conhecer a Cristo, àquele que pode fazer aquietar toda a turbulência tanto exterior e principalmente a interior.

            Diante da situação o medo nunca produzirá a resposta adequada, ele será um problema a mais. É preciso reconhecer a Cristo, e de acordo com Salomão isto deve acontecer durante todo o tempo da nossa caminha. “Reconhece-o em todos os teus caminhos...”. Provérbios 3:6. Neste momento a nossa vida, apesar da agitação passa a ter um fundamento sólido, a questão tempo espaço, passa a segundo plano, pois temos agora a dimensão da eternidade.

Conhecer a Cristo e confiar no Seu amor, permite abrirmos o coração e entregar-lhe toda a agitação do nosso ser. O perfeito amor do Senhor lançará fora todo o medo, e Sua doce paz, trará tranquilidade a nossa mente. Tenha convicção, com Jesus, não importa a agitação do mar, nosso barquinho sempre chegará a praia. Fortaleçamos a nossa compreensão da presença do Mestre, nosso capitão.

 

Oração: Senhor agradecemos a Tua companhia. Reconhecemos a tua presença, que de forma serena nos leva a aquietar o nosso coração, dissipando toda a escuridão e medo. Amém.

 

“Conservemos os nossos olhos fixos em Jesus, pois é por meio dele que a nossa fé começa, e é ele quem a aperfeiçoa”. Hebreus   12: 2.