Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento de Fé - 19/10/2018 - O Ministério de Cristo

Alimento de Fé - 19/10/2018 - O Ministério de Cristo

“18. “O Espírito do Senhor está sobre mim, porque me ungiu para pregar o Evangelho aos pobres. Ele me enviou para proclamar a libertação dos aprisionados e a recuperação da vista aos cegos; para restituir a liberdade aos oprimidos”. Lucas 4: 18.
Alimento de Fé - 19/10/2018 - O Ministério de Cristo

 

Leia Lucas 4: 16 – 30.        

 

            Jesus veio para trazer a paz de Deus aos nossos corações e nos fazer caminhar com serenidade diante das adversidades deste mundo turbulento. Mas, para que isto se torne em realidade é preciso que Ele reine absoluto em nossos corações.

            Precisamos aprender a ouvir a voz do Senhor. Cremos que o problema não é se Deus fala ou não, mas sim se estamos dispostos a prestar atenção e obedecer.

            Quantas vezes recebemos um conselho de uma pessoa próxima e rejeitamos? Depois quando outra pessoa comenta e sugere as mesmas coisas aceitamos facilmente.   

            Assim também acontece em nossa vida espiritual, desconsideramos a manifestação da luz de Deus em uma certa situação, mas quando nos arrependemos e consideramos novamente está manifestação divina, obtemos resultados que não obteríamos se tivéssemos seguido a nossa “intuição”. Este foi o mesmo e simples erro dos nazarenos, salientado por Jesus.

            No texto do Evangelho que apresentamos, o povo de Nazaré inicialmente parecia mais aberto à mensagem de Cristo, ao seu modo de falar e sua autoridade (divina). O que eles não suportavam era o pensamento de que Ele era realmente apenas um deles (um simples carpinteiro, filho de José e Maria). Mais tarde, foi confirmado esta verdade, Jesus afirma: “24. E continuou a falar Jesus: “Realmente vos afirmo: Nenhum profeta é bem recebido em sua própria terra.”.

            Certamente, eles devem ter pensado que ele havia esquecido suas raízes e que sua fama em Cafarnaum provavelmente tinha subido à cabeça. Mas o mesmo povo de Nazaré, é claro, não foi o primeiro nem o último a cair na armadilha de prestar mais atenção ao mensageiro do que à mensagem. É exatamente por isso que Cristo expõe o sírio Naamã, que foi recompensado com uma cura, depois que ele superou seu preconceito, para com o povo de Israel. II Reis 5.

 As pessoas de Nazaré, que eram orgulhosas demais e obstinadas demais para compreender a mensagem de Cristo, se ofendem com as palavras do Senhor e as consideram um ataque pessoal a si mesmas, seu próprio povo.

Muitas vezes também ficamos contrariados com Jesus, pois não compreendemos a grandeza do Seu poder e nem a dimensão do amor do Pai Celestial por nós. Ficamos impedidos de enxergarmos com mais clareza, por causa do nosso orgulho ferido. “Deus não fez as coisas do meu jeito”. Isto traz desmotivação, mas o ministério de Cristo é nos fazer participantes do Reino de Deus e não satisfazer nossos caprichos.

Devemos lembrar que a fé é um dom. Ela é dada, não negociado ou merecida. No Calvário, alguns o insultavam com tal ideia: "quando você descer da cruz, acreditaremos em você" (Mc 15:32).

O ministério de Cristo tem como base a Sua Palavra e isto deve ser suficiente para nós.  

 

Oração: Senhor, declaramos o nosso amor e Te agradecemos por tudo que Tens feito por nós. Que a as nossas orações não sejam feitas como uma forma de barganharmos contigo, mas uma declaração de que estamos dispostos a Te obedecer em todos os momentos, fazendo parte deste Teu ministério de vida. Amém.