Você está aqui: Página Inicial / Pastoral / Alimento de Fé / Alimento de Fé - 28/09/2018 - Ricos diante de Deus

Alimento de Fé - 28/09/2018 - Ricos diante de Deus

“Isso também acontece com quem poupa riquezas para si mesmo, mas não é rico para com Deus”. Lucas teus 22:21.

Leia Lucas 12: 13 – 21.       

 

            Nosso relacionamento com Deus deve ter como base a humildade. Desta forma iremos procurá-lo não com uma lista de pedidos, mas com o desejo de ouvi-lo e obedecê-lo.

Diante de uma situação de litígio entre dois irmãos, por causa de uma herança, Jesus conta uma parábola.

A parábola começa muito bem, tem um caráter muito positivo. Um homem rico tem muitos campos e (talvez finalmente) poderá ter uma grande colheita. Provavelmente deveria ser muito maior do que nos anos anteriores, já que ele não teria celeiros suficientes para armazená-la, então almeja construir outros maiores. Podemos dizer que a colheita é uma bênção de Deus. Mesmo na agricultura moderna, ainda se pode, mesmo com todos os avanços e sutilezas da tecnologia, dependemos em grande parte da natureza, da criação, do criador.

            Porém o objetivo da parábola logo é descrito. No momento em que o homem se torna bem-sucedido, algo em seu interior parece mudar, logo aparece espaço para que a tentação chegue com força total e se apodere de seu coração. Ele começa a dizer que obteve sucesso por si mesmo, pois é um bom agricultor. “E assim direi à minha alma: tens grande quantidade de bens, depositados para muitos anos; agora tranquiliza-te, come, bebe e diverte-te!”.    

            Em grande ou pequena escala, certamente conhecemos essa experiência. Mas especialmente nos momentos bonitos e bem sucedidos, precisamos aprender a ser grato a Deus. Parece que muitas vezes compartilhamos mais as nossas tristezas do que nossas alegrias com o Senhor.  É o melhor que podemos fazer, porque não podemos influenciar nem as pequenas coisas da vida, quanto mais as maiores.

            Jesus com está parábola demonstra que a vida e muito mais do que ter bens matérias, embora estes nos ajudem não são essências para a plena alegria, pois a felicidade é um trabalho de Deus em nosso interior.

            Precisamos aprender com Jó: A atitude de Jó pode nos ajudar: "O Senhor deu, o Senhor tomou; Louvado seja o nome do Senhor ". Jó 1:21. Essa atitude pode nos libertar internamente de nos apegarmos as coisas materiais, como se fossem a essência da vida. De modo que somos gratos por colheitas ricas, mas ao mesmo tempo somos felizes, quando não acontecem as coisas como queremos. E podemos usá-las para reconhecer que Deus é Deus em todas as circunstâncias e nenhuma delas poderá nos fazer sair do caminho.

                        Essa é uma parábola difícil. Não porque é difícil de entender; é difícil aceitar e viver assim. Nosso coração tem uma facilidade muito grande de se ligar às pequenas coisas deste mundo. Então dar a Jesus o primeiro lugar em nosso coração é mais difícil do que ir ao culto. Por isso precisamos pedir ajuda para o Senhor, para nos livrar de tudo o que nos impeça de sermos ricos diante do Pai Celestial.

 

Oração: Senhor queremos confiar que todas as coisas que acontecem, de uma forma ou de outra vem pela Tua permissão. Queremos aprender a ter gratidão por todos os momentos de nossa vida. “Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém”. Romanos 11:36